sexta-feira, 10 de outubro de 2008

O Dragão Negro episódio-6

O lugar era um galpão enorme no meio da cidade, o lugar estava começando a encher de gente todos pareciam bem alertas e todos estavam armados seja com armas de fogo ou com espadas todas pareciam muito habilidosas e prontas a se defender de qualquer um. Pena que não esperavam um ataque. Ele olhou pra ela e questionou:
— Aqui por que estamos fazendo isso?
— Olha, você disse que estava nessa pela ação.
— Sim disso eu sei, mas o que eu perguntei é porque estamos nessa contra essa tal de Neo?
Ela ficou olhando pra ele e estava claramente triste
— Olha, é um pouco difícil pra mim te explicar....
— Desculpe, mas eu preciso saber. Espero que entenda.
— Tudo começou quando eu tinha dez anos... — ela estava com quinze —... Estava tudo indo muito bem toda minha família estava feliz, eu, meu pai, minha mãe e.... Meu irmão.... — seus olhos já estavam molhados —....até que meu pai inventou uma dessas tecnologias para computador. E foi um sucesso a invenção dele, mas não demorou muito tempo até meu pai ser chamado por uma empresa que queria compra a invenção dele, só que ele recusou a oferta. Eles continuaram insistindo para meu pai vender, mas meu pai sabia que poderia ganhar muito mais dinheiro com sua invenção do que eles ofereciam.... — ela já escondia os olhos a essa altura —.... Foi ai que começaram a fazer ameaças ao meu pai que simplesmente ignorou. E foi ai que em uma noite um grupo de homens vestidos de preto como aqueles homens do prédio entraram em nossa casa bateram no meu pai, minha mãe ficou duas semanas no hospital e...... Mataram meu irmão.
Ela estava soluçando e tapando o rosto com as mãos, ele a abraçou tentando consola-la, mas conseguia sentir que seu choro não era de tristeza, mas sim de ódio. Ele abaixou suas mãos e olhou dentro dos olhos dela:
— Desculpe fazer você lembrar disso e não se preocupe eu estou aqui, não vou deixar nada de mal te acontecer.
Ela o olhou pra ele como nunca havia olhado antes, sentia vontade de chegar mais perto foi fez isso até que seus lábios se tocaram. Seu beijo era doce, macio e suave ele nunca havia sentido um beijo como o dela o fez esquecer tudo parecia a coisa mais perfeita do mundo e quando acabou e abriu os olhos estava convencido de que realmente a amava.
Passaram alguns momentos assim, mas tinham que se concentrar no que fariam.
De onde estavam dava pra ver que o homem com quem tinham conseguido a informação chegara ao local carregando a mesma maleta que estava no estacionamento.
O homem entrou, pareciam que esperavam apenas ele pra começar a reunião. O dragão olhou pra sua companheira e perguntou sério:
— Então qual é o plano? — Ele realmente não havia pensado nisso — A gente entra simplesmente entra arrebentando tudo?
— Isso com certeza não a gente primeiro vê do que se trata a reunião e só depois batemos — deu um sorriso — Me admira você todo planejado querer entrar batendo.
— A culpa não é minha se você me desconcentrou.
— Ahhh ta bom vamos lá.
Os dois voaram para o telhado do galpão e ficaram espiando, mas tinha alguma coisa errada todos estavam mais alerta do que o costume. O homem havia contado o que tinha acontecido na noite anterior.
— Droga! — exclamou T........... — Agora não vamos saber o que estavam tramando.
— Pode ser do meu jeito então?
Ela revirou os olhos e disse:
— Ahhh. Ta bom, vamos fazer do seu jeito.
Os dois pularam por um alçapão que estava diretamente em cima do meio do galpão e antes mesmos de tocarem o chão já se podia ouvir os sons das armas disparando. Quando algo assim acontecia tudo para ele parecia se mover em câmera lenta dessa vez não teria pena tirou sua espada da bainha e logo já estava cortando e assim ia um, dois, três, quatro e depois de derrubar o vigésimo pararam os dois um de costa pro outro procurando um inimigo, alguém, não ninguém estavam todos caído ensangüentados menos eles dois estavam cansados sim, mas estavam tão limpos quanto quando entraram pelo alçapão. Por um instante reparou na sua espada e havia uma espécie de névoa negra saindo dela era como se estivesse evaporando o sangue ou talvez se alimentando dele, nunca tinha visto ela assim olhou e sentiu-se hipnotizado pela espada tudo a sua volta escureceu e ele ouviu uma voz desconhecida dizendo “deixe-me sair”.
Tudo isso foi sumiu quando se ouviu sons de palmas vindo da entrada, os dois olharam e viram um homem alto careca com uma enorme cicatriz no rosto com um ar de militar:
— Ora, ora, ora — disse ele como se estivesse encarando algo muito comum — Parece que eu perdi toda a festa. Vocês dois são realmente bons o que querem? Um emprego?
— Não só queremos colocar um pouco de ordem nessa bagunça e levar um pouco de justiça a pessoas que matam outras pessoas — Disse a garota com raiva.
— Ahh, entendi são justiceiros não é? Patético. — e fez um sinal com uma das mãos.
Imediatamente surgiram cinco daquelas sombras em volta deles como se tivessem vindo da nada.
— Hey. Moça que tal eu pegar três e você dois.
— Não. De jeito nenhum vamos fazer assim: cada um pega dois e quem acabar primeiro pega o que sobrou.
— Ta legal. Vamos nessa.
Os dois se moviam tão rápido que nenhum humano normal conseguiria ver nada alem de vultos era praticamente um furacão de lâminas que surgia no centro do galpão e só depois de perceber que sozinhos não conseguiriam começaram a lutar em equipe e pouco depois as sombras jaziam no chão sem vida.
— Goste de vocês — disse o militar — Pena que vou ter que matá-los.
Ele tirou uma espada das costas e começou a andar calmamente na direção deles. Eles tentaram combate-lo em equipe, mas não adiantou nada esse cara era muito mais rápido, forte e habilidoso que qualquer inimigo que haviam enfrentado. Ele tentou um ataque sozinho, mas errou e levou um golpe tão forte que foi parar do outro lado do galpão soterrado por caixas. E o homem continuou a andar na direção da garota, ela começou uma batalha, mas pouco depois estava no chão, indefesa, ele estava quase colocando a mão nela quando uma caixa veio voando na sua cabeça.
— Nem pense em encostar suas mãos nela — Disse ele com raiva nos olhos e sua espada expelia mais nevoa negra do que antes.
— O que, mas como?
— talvez eu não tenha comentado, porque não sou de me gabar, mas possuo telecinese (quem não sabia agora ta sabendo).
Eles começaram uma nova batalha, só que dessa vez estava mais rápido e mais forte muito mais poderia enfrentá-lo agora, de igual para igual, mas não o suficiente para derrota-lo os dois pararam para se admirar e o homem perguntou:
— Como ficou tão forte — estava realmente muito surpreso.
— uma vez ouvi uma frase, “quando uma pessoa tem a quem proteger, então fica verdadeiramente forte” não acreditei na época, mas agora posso ver que é verdade. — sorriu — desculpe, mas vou ter que acabar com isso logo.
De repente disparou contra o homem em uma velocidade incrível, mas pouco antes de toca-lo desapareceu e apareceu no lugar onde começara o ataque.
— Parece que você me errou garoto.
— Nunca quis acertar você.
Ele terminou de dizer isso e todo o teto desabou sobre seu adversário. Ele olhou pra sua amada que já vinha correndo abraça-lo, envolveu-a em seus braços e disse em seu ouvido que havia terminado, beijaram-se e novamente ele se sentiu no céu. Terminaram o beijo e olharam-se nos olhos... TAAA... TAAAA..... TAAA.....
Ele arregalou os olhos, não podia acreditar no que aconteceu. O que era isso em suas mãos? Que liquido quente era essa que escorria em seu peito? Sangue? Não era dele.
TUMTUM... Seu coração batia mais rápido.... TUMTUM..... Não era dele o sangue.... TUMTUM... Gostaria que fosse seu sangue.....TUMTUM..... Mas não era....TUMTUM.
E em seu ultimo momento de lucidez conseguiu distinguir seu adversário saído dos escombros com uma arma na mão. Não podia acreditar no que havia acontecido, não podia enfrentar aquilo, então refugiou-se no fundo de sua mente em um lugar tão profundo que ninguém iria acha-lo e de lá viu um monstro se soltar e tomar conta do seu corpo aquele monstro ao mesmo tempo estranho, mas familiar, aquele pelo qual o denominavam e pelo qual escolhera seu nome.
O Dragão Negro o verdadeiro Dragão Negro.
(continua).........

P.s:Esse episódio ficou enorme e espero que bom também.

Bjs e até a próxima

9 comentários:

  1. Você que é sempre um lindo!
    Obrigada !

    Adoro seus textos e sua imaginação impar para conduzi-los aonde quer!

    Um beijo repleto de luz e cores!

    ResponderExcluir
  2. Adorei esse episodio.
    espero pelo outro

    bjus

    ResponderExcluir
  3. adoro a tua frase, sobre a gente n poderar parar o mundo para o concertar, estou plenamente de acordo...

    n estas errado kando dizes k é facil entrar no meu coraçao. felizmente para mim kando sao pxoas sinceras e realemnte amigas, mas infelizmente kando sao as pexoas erradas é dificil tira.las de la...mas uma coisa é certa kando as tirou de la raramente voltam a entrar, a n ser k me demosntrem k realmente merecem o seu lugar!!!

    obrigada:D

    vou paxar a outra hora para ler com mais atençao a tua historia, mas tou a adorar continua....

    bjo****

    ResponderExcluir
  4. ksopakspoaksa, só to vendo qual layout fica melhor :P

    ResponderExcluir
  5. oi!tenho foto sim mas tenho certeza que não queres ver.pois acho que vc tem medo de bicho papão.ou não?irei com certeza ver o seu orkut quando puder ,sabe sou muito ocupada.

    ResponderExcluir
  6. sim tens toda a razao!!! uma pexoa sem recordaçoes é uma pexoa sem passado, é como se nunca tivesse vivido deve ser relamente terrivel n se ter recordaçoes!!!ixo é o k faz de nos akilo k somos hoje!!!

    ate tenho algumas imagens engraçadas, vou procurando na net...

    tou a adorar a historia, msm ta brutal... continua...este epsidodio ta muitissimo bom!!!

    mas tas a pensar em editar um livro ou publicar a historia???
    ou vai so ficar por aki???

    bjs***

    ResponderExcluir
  7. agora sm parei pra ler
    sua história me surpreende cada vez mais
    e sem eu saber fico ate mesmo apreensiva pelo que irá acontecer,
    e agora li para ficar mais curiosa ainda

    ResponderExcluir